Últimas 100 Atualizações do Website via Twitter:

Pesquise todo o conteúdo do website Horus Strategy abaixo:
Loading

quarta-feira, agosto 12, 2009

Dólar segue trajetória de desvalorização - Matéria publicada no Jornal do Commércio dia 12/08/09 - Caderno Mercados






Dólar segue trajetória de desvalorização

Tatiana Gurjão

Apesar de ter começado a semana em alta, o dólar voltou a se desvalorizar ante o real. No mercado interbancário, a divisa dos Estados Unidos teve depreciação de 0,38%, fechando à cotação de R$ 1,841 na compra e R$ 1,83 na venda. A moeda americana iniciou a sessão em leve alta, cotada a R$ 1,86, mas seguiu ladeira abaixo ao longo da tarde, a despeito do movimento vendedor no mercado acionário brasileiro.

A taxa Ptax da terça-feira ficou em R$ 1,8449 para compra e R$ 1,8457 para venda. À tarde, o Banco Central (BC) comprou dólares, em leilão, a uma taxa de corte de R$ 1,8399. O dólar turismo andou em direção oposta ao comercial e avançou 1,06%, a R$ 1,76 para compra e R$ 1,90 para venda.

Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), o dólar pronto recuou 0,3%, e fechou cotado a R$ 1,8425. O giro financeiro foi de R$ 132.790 milhões, com apenas 39 negócios realizados. Os contratos futuros foram negociados abaixo da barreira psicológica de R$ 2. Para setembro, a cotação fechou em R$ 1,849; para outubro, a R$ 1,86 e para novembro, a R$ 1,871.

"A liberação de recursos de financiamento para empresas exportadoras pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) pode ter impactado o real ontem", acredita Daniel Castro, professor de Consultoria e Investimentos Financeiros da FGV. "Os juros desta liberação do BNDES estão muito baixos (4,5%). Ao invés de a empresa pegar empréstimo no exterior, ela vai preferir fazê-lo aqui. Essa linha de financiamento compete com o adiamento de contrato em dólar."

Segundo o professor, o empréstimo faz parte do pacote de medidas anticíclicas adotadas pelo governo federal. O financiamento é de R$ 7,6 bilhões e vale até o fim do ano, ou até ser repassada toda a verba. Castro adianta que a economia só será beneficiada com este recurso, no entanto, caso haja demanda externa. "A exportação é quem rege a demanda. As empresas vão lucrar se a economia recuperar o fôlego."

De acordo com Castro, o dólar continuará a ser depreciado na comparação com o real. "A balança comercial está positiva, e as aplicações externas devem continuar a todo vapor ao País, tanto em renda variável quanto na fixa. Mesmo com juros menores, nossas taxas ainda são altas o bastante para atrair capital estrangeiro."

Ele ressalta, no entanto, que o BC deverá continuar a intervir para frear a queda excessiva do dólar. "Eles nem avisam mais quando vão comprar dólares. A intenção do BC com essa manobra é desarmar quem faz um câmbio especulativo. O Henrique Meirelles (presidente da instituição) já deu um puxão de orelha na semana passada para que parem de brincar com a divisa dos EUA."

O professor estima que a moeda americana se desvalorize ao ritmo de cinco centavos por mês frente ao real e, após uma leve alta no fim do ano, feche 2009 cotada a cerca de R$ 1,70.


De acordo com a diretora de câmbio da AGK Corretora, Miriam Tavares, investidores procuraram vender dólar, aproveitando o repique da divisa. "No quadro atual do câmbio doméstico, quando o dólar chega nos níveis de 1,850 real ou ultrapassa essa cotação, entram os vendedores querendo lucrar com a alta."BM&FBovespa, o volume negociado no mercado de câmbio à vista somava cerca de 2,35 bilhões de dólares.

EURO. O euro comercial teve retração de 0,19%, a R$ 2,605 para compra, e R$ 2,609 para venda. No turismo, a divisa europeia despencou 2,52%, cotada a R$ 2,48 na compra, e R$ 2,77 na venda. Às 19h05 de Brasília, a moeda da Europa tinha apreciação de 0,06% contra o dólar, a U$S 1,4149, e, perante a divisa japonesa, recuava 1,12%, a 135.82 ienes.

Na comparação com o iene, a moeda dos EUA perdeu 1,19%, a 95.99; frente à libra, recuou 0,01%, a U$S 1,6478. Quando comparado ao franco suíço, o dólar retraiu 0,34%, a 1,0818.

O contínuo fortalecimento do dólar nos mercados internacionais após o horário de negociações na Ásia levou o yuan a uma nova desvalorização sobre a moeda norte-americana. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado a 6,8350 yuans, de 6,8344 yuans do fechamento de segunda-feira. (com agências)

Matéria Completa: jornaldocommercio120809B2.pdf

Marcadores: ,

Bookmark and Share

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Copyright © 2002 / 2014 HorusStrategy.com.br. Horus Strategy é marca registrada. Todos os direitos reservados.